Spalão: a nova febre nos salões

Apesar da palavra spalão não existir no dicionário, o conceito por trás dela já é uma realidade cada vez mais fácil de encontrar dentro e fora do Brasil: trata-se do cuidado de bem-estar oferecido pelo spa, porém focado no tratamento do cabelo feito no salão. Daí vem o termo spalão, ou spalon em inglês; um neologismo que só de entender seu significado já dá vontade de experimentar, e com a certeza de que a gente vai se entregar de cabeça, corpo e alma.

Vera Golik e Shâmia Salem

Mesmo sendo fã de transformações capilares, a brasileira está cada vez mais atenta ao fato de que, para o seu cabelo resistir às mudanças constantes e ficar realmente LINDO, ele precisa primeiro de tudo estar saudável. E isso só é conquistado com os hábitos corretos. Os salões também já perceberam essa necessidade, assim como a incrível oportunidade de oferecer os serviços de terapias capilares, como aponta o Caderno de Tendências 2019-2020 da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), produzido em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). E é daí que vem a tendência dos spalons, que se propõem a cuidar da saúde do couro cabeludo com sessões de esfoliação, higienização, hidratação, nutrição e vascularização com massagens manuais ou feitas com aparelhos.

Democrático

Não pense que essa pegada zen faz do spalão um serviço exclusivo de salões mais alternativos, como os que oferecem tratamentos e produtos naturais, veganos e cruelty free. Endereços hypados e grandes redes também adotaram a tendência, e com sucesso. É o caso do C.Kamura, que acabou de inaugurar seu espaço para hair spa dentro de seu endereço fashion no bairro do Jardins, em São Paulo. “A ideia de fazer essa investida surgiu da percepção de que muitas vezes os problemas dos fios têm origem emocional e, por isso, eles precisam de um cuidado mais amplo e profundo. Então, a gente continua com a missão de colorir e cortar, lógico, mas agora também de cuidar da saúde e do bem-estar do cabelo e do couro cabeludo da cliente. Até porque esse é um jeito de ajudá-la a resgatar sua autoestima e também de oferecer um atendimento personalizado, com embasamento técnico e produtos inovadores em uma estrutura confortável e relaxante”, diz o cabeleireiro Celso Kamura.

Não é ‘coisa de mulher’

O Caderno de Tendências da ABIHPEC destaca ainda que os homens também estão aderindo às terapias relaxantes oferecidas pelos spalons. Para se ter uma ideia, um estudo feito recentemente pela Mintel no Reino Unido mostrou que 76% dos homens que frequentaram um instituto ou spa nos últimos 12 meses disseram que o tratamento contribuiu para o seu bem-estar mental. E, olha só que máximo e inspirador, pensando num presente com a certeza de agradar: para 64% dos entrevistados, essas sessões constituem um elemento importante da rotina de bem-estar deles. Globalmente, 36% dos homens indicam que o tratamento mais recente que fizeram foi motivado pela busca do prazer e do relaxamento.

Fica ainda mais fácil entender tudo isso a partir da explicação da cabeleireira Cida dos Anjos, de São Paulo: “A proposta do spalon passa pela promoção de sensações de bem-estar por meio de diferentes experiências que estimulam todos os sentidos. As sensoriais podem ser sentidas a partir do uso de um xampu que faça uma espuma bem cremosa, enquanto as olfativas são desencadeadas pela aromaterapia empregada na elaboração dos cosméticos, e as visuais, baseadas na cromoterapia, estão na cor das embalagens e até na decoração do ambiente. Já as táteis, como é de se esperar, aparecem no ritual de aplicação dos produtos, que tendem a seguir um cronograma pré-estabelecido, e, por fim, as auditivas são garantidas pelo acolhimento dado com a escolha da música e da altura em que ela é tocada”. Levanta a mão quem está precisando a-go-ra de um spalon desses!