Pele bem cuidada na maturidade

Com as marcas olhando cada vez mais para o consumidor como indivíduo, começam a surgir produtos e serviços para satisfazer necessidades específicas em cada fase da vida. O ciclo que se inicia para quem completa 50 anos, por exemplo, tem se revelado um recomeço. E trazido gratas surpresas. Se é o seu caso, nos conte como você vê esse movimento. Se ainda não for, prepare-se para ser chamada de “jovem há mais tempo” e curta a sua qualidade de vida por longos e belos anos que virão pela frente.

Vera Golik e Shâmia Salem

Hoje, um entre cada quatro brasileiros tem 50 anos. Até 2050, um a cada três terá mais de 60 anos, segundo dados dos IBGE. Voltando ao agora, uma pesquisa da empresa americana SBDCNet mostrou que quem tem de 35 a 64 anos de idade gasta entre 10% e 14% mais que a média das pessoas com produtos e serviços de cuidados pessoais. Isso significa que para além de viver mais, essa turma quer viver melhor, o que explica porque o envelhecer ganhou um novo significado, que passa por ter uma aparência saudável, como aponta o Caderno de Tendências 2019-2020 da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), produzido em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Para encarar a maturidade da melhor maneira possível, a turma dos “enta” acredita – e são exigentes quanto a isso – que os produtos precisam estar fortemente centrados em resultados, ou seja que sejam eficientes e seguros, além de oferecer mais opções para quem busca boa aparência. Com base nisso, a hidratação e a manutenção da qualidade da pele, por exemplo, são benefícios muito mais desejados do que a antiga promessa de antienvelhecimento, como mostrou um levantamento feito pela Euromonitor International. Enfim, envelhecer todo mundo sabe que vai um dia. A questão não é brigar contra o envelhecimento, mas conhecer os processos, inclusive os da pele, para torna-lo uma experiência rica e com marcas sim, mas que não agridam nem denigram sua história.

Especial para maiores

Pensar nas alterações fisiológicas que acontecem naturalmente com o passar dos anos tem sido o norte para muitas marcas criarem produtos que atendam às demandas específicas de quem tem 50+. Nesse sentido, o Caderno de Tendência da ABIHPEC, destaca a atuação da marca Form Lab, do Reino Unido, que lançou a linha Stratum C, especialmente criada para a pele da mulher que entrou na menopausa. Sua fórmula traz hidratantes potentes e ativos que repõem o colágeno, porém, com o diferencial de que eles são próprios para a pele sensível típica dessa fase da vida.

E realmente é importante que seja assim. “A pele muda muito depois da menopausa devido a diminuição dos hormônios femininos. Eles impactam na degradação do colágeno e no ressecamento da pele, o que fragiliza sua barreira de proteção natural. Como consequência, a pele fica fina, desidratada, coça – o que aumenta o risco de lesões – e mais sensível a tudo: aos efeitos do sol, passando pelo impacto da água quente do banho até ao uso de cosméticos que não sejam indicados para ela, como um sabonete facial que tenha mais detergente na fórmula ou um tônico à base de álcool”, avisa a dermatologista Carolina Ferolla, que recomenda uma revisão completa do nécessaire. “Mesmo quem já tem o hábito de comprar cosméticos e é superatenta às novidades, ganha muito ao conversar com seu médico sobre os produtos mais recomendados para essa nova fase da vida, a dos 50 em diante. Regra geral, deve-se optar por formulações que estimulem a produção de colágeno e que, além de hidratar de fora pra dentro, tenham a capacidade de reter líquidos na pele, isso sem falar na capacidade de oferecer proteção solar, é claro. Também é recomendado escolher produtos com texturas mais cremosas e demaquilantes bifásicos, pois são elaborados com mais água e óleo. Por outro lado, deve-se evitar formulações com álcool, que podem irritar e ressecar a pele, e dar preferência aos cosméticos dermatologicamente testados, hipoalergênicos e higienizantes, com ação delicada, caso das águas micelares”, lista a especialista.

A recomendação de quem entende do assunto é aproveitar esta fase para iniciar tratamentos intensivos, com esteticistas especializados em dermatologia funcional, orientados por médicos dermatologistas. Existem inúmeros protocolos modernos e cosméticos de última geração para ajudar você a ficar feliz com a imagem que vê no espelho. Porém, valem algumas regras de ouro:

••• procurar várias opiniões antes de iniciar ou fazer um tratamento;

••• escolher produtos de marcas conceituadas;

••• começar com procedimentos menos invasivos – com cosméticos e manobras que podem ser feitas por esteticista ou dermatologista – para então, dependendo do caso, partir para tratamentos mais invasivos, neste caso, feitos apenas por médicos;

••• consultar sempre um dermatologista para saber a real condição da sua pele e ficar a par do que esperar de cada tratamento e cosmético. Então, já bem orientada, fazer a revisão dos seus hábitos e de seu nécessaire.

Por fim, o mais importante: valorizar sua beleza única, que muda sim em cada fase da vida. Afinal, seu rosto – e cada marca que surge nele – registram sua jornada de vida. Cuidar bem da pele passa a ser um reflexo de autoestima, ao invés de buscar uma imagem irreal, distante da sua, e que pode ter efeito contrário e deixa-la infeliz. Por isso, ame-se e cuide-se muito, sempre!!