Oriental: o perfume da vez

Sim, perfume continua sendo e sempre será uma questão de gosto pessoal. Mas no mundo das fragrâncias também existem tendências. Então, não é que a brasileira tenha deixado de gostar dos florais, mas sua nova paixão são as fragrâncias orientais, em especial as que trazem notas gourmand. Entenda esse movimento – nacional e internacional – porque é provável que você também se renda a ele – se é que já não tenha se deixado inebriar pelos cheiros do momento…

Por Vera Golik e Shâmia Salem

Feminilidade é a marca registrada dos perfumes elaborados com flores. Quem usa ainda se sente mais confiante; quem cheira, fica atraído. Some a isso o fato dos florais serem fresquinhos, perfeitos

para nosso clima tropical (o que, sem dúvida, melhora nosso bem-estar), de termos uma indústria nacional forte, em total sintonia com as consumidoras, tanto que 90% das fragrâncias vendidas no Brasil são nacionais, e já dá para começar a entender porque a nota faz tanto sucesso por aqui.

Mas, tanto quanto ser louca por perfumes, a brasileira é uma apaixonada por experimentar novidades. Tanto é que entre os últimos lançamentos nacionais e importados prevaleceram como preferência os orientais, daí a previsão de que nos próximos anos as famílias floral e oriental dominem as prateleiras, indica o Caderno de Tendências 2019-2020 da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) produzido em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Estímulo aos sentidos

Porém, não é qualquer oriental que seduz a brasileira. Segundo a ABIHPEC, o preferido dela é o gourmand. “Faz sentido. Afinal, o oriental traz notas quentes, como sândalo, âmbar e musk, e as gourmand estão relacionadas à comida, entre elas baunilha e chocolate. Ou seja, uma combinação extremamente sedutora. Até por isso, o ideal é reservá-la para a noite, já que as altas temperaturas durante o dia deixam o cheiro ainda mais intenso”, alerta o especialista em perfumaria Fábio Navarro, de São Paulo. “Mais um bom motivo para investir também no floral, que pode ser usado em qualquer horário e ocasião”, completa ele. Portanto, é bom ter em mente que os perfumes que você escolhe para usar vão sempre carregar uma mensagem. Assim, prefira perfumes que, além da moda, lhe proporcionem bem-estar e que combinem com seu modo de ser e de viver. O ideal é escolher fragrâncias específicas para momentos diferentes, como as que pretende usar no dia a dia e outras para ocasiões mais formais ou especiais. De toda forma, em qualquer ocasião, se você estiver se sentindo bem ao “vestir” o seu perfume, certamente estará também deixando a sua marca por onde passar.

 

Questão de Pele

Por falar em marca, é inegável que o perfume se transforma de pessoa para pessoa e as preferências podem mudar conforme a época. Em relação a forma como a fragrância reage no seu corpo, isso acontece principalmente por causa da química ou seja, da interação dos ingredientes do perfume com as moléculas da pele de cada pessoa e também do ambiente. A especialista em perfumaria Renata Aschcar, revela em seu Guia de Perfumes: “Assim como roupas, acessórios, cabelo e maquiagem, perfumes também mudam de acordo com tendências. Além disso, cada região do mundo tem suas preferências. Portanto, escolher uma fragrância é aderir a um contexto social”. É quando o gosto pessoal, a influência da celebridade ou a identificação com o apelo de uma marca dá uma força para que a mulher experimente novos perfumes. “O que torna o perfume realmente especial é a maneira como ele se comporta em nossa pele”, explica Renata. Como essa alquimia acontece? “A partir do momento em que as moléculas perfumadas tocam nossa pele, uma cadeia de ligações químicas se inicia… Níveis hormonais e de hidratação, além de grau de acidez são alguns dos fatores que definem o comportamento das notas olfativas em contato com a pele”, continua a especialista, que dá as dicas para que você acerte na sua fragrância. Ela avisa que escolher um perfume não é tarefa para ser realizada no susto, no impulso ou com pressa. “O ideal é aplicar o perfume e esperar, no mínimo, 20 minutos até tomar a decisão. É que as notas de topo, as primeiras que sentimos ao borrifar a fragrância, desaparecem logo após a aplicação. Ficamos, então, com os acordes que compõe o coração e o fundo. É aos poucos que essas nuances vão sendo liberadas para interagir com as moléculas da pele e, assim, construir um cheiro único, absolutamente original. Esse odor tão pessoal tem um nome: sillage, que significa o rastro perfumado deixado por uma pessoa. É uma parte de quem somos, nossa assinatura exclusiva.” Enfim, a velha técnica de aplicar um pouco do perfume e dar uma volta para depois voltar a loja e se definir é a que mais faz sentido. Enfim, como diz Renata Aschar: “É por isso que às vezes adoramos o perfume usado por um amigo ou amiga, mas não sentimos a mesma emoção quando o aplicamos na nossa própria tez. Afinal, a harmonia entre pele e fragrância é inimitável”.

 

(Nota: Se quiser conhecer mais sobre o Guia de Perfumes, de Renata Aschar, acesse o link: http://www.renataashcar.com.br/publicacoes/12-guia-de-perfumes-2018/)