Loiro platinado saudável? Você pode!

Usar na mesma frase as palavras “saudável” e “loiro platinado” é possível? Sim. Com a chegada de tratamentos que não pensam apenas na transformação dos fios, mas também em como manter sua saúde, agora podemos pensar nessa possibilidade. É o caso do plex, que revolucionou o serviço de descoloração no salão, que segue o movimento apontado no Caderno de Tendências 2019-2020 da ABIHPEC, mostrando que as marcas estão atentas ao mote “minha beleza, minhas regras” e têm oferecido opções que atendam à definição pessoal e individual de cada pessoa a respeito do que é se sentir bem com sua imagem no espelho. Claro que milagre ainda não existe e a intensidade do clareamento depende da qualidade do cabelo. Porém, com mais esse recurso há como redefinir esse limite e você, com o apoio do seu cabeleireiro, pode ousar mais. Entenda por que e até onde dá para ir sem colocar sua cabeça em risco.

Vera Golik e Shâmia Salem

Ok, o plex já não é uma super novidade. Está no mercado desde 2015. Mas continua sendo um achado de ouro, que consegue ajudar a deixar cabelos super mega platinados, preservando ao máximo a saúde dos fios!

A descoberta do plex é uma daquelas histórias fantásticas que nasceram com uma ótima intenção e, conforme foram sendo estudadas, acabou revelando outro potencial tão incrível quanto o original. Com a toxina botulínica também foi assim, já que ela começou a ser usada em humanos em 1960 para reduzir o desalinhamento involuntário dos olhos no estrabismo e se mostrou capaz de combater rugas, revolucionando os tratamentos estéticos em todo o planeta. Voltando ao plex, a ideia inicial era criar um óleo que concorresse com o argan, que conquistou o mundo com seu potencial hidratante. Mas, em vez de hidratar, os cientistas identificaram, sem querer, uma molécula capaz de reestruturar os fios. Como? Aqui vai a explicação técnica: a molécula descoberta era formada por átomos de carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio e com o exclusivo poder de não só reconstruir como multiplicar as ligações de dissulfeto de enxofre do cabelo, que são quebradas quando os fios passam por algum tratamento químico. Essa arrebentação é necessária (sem ela é impossível fazer as transformações que a gente tanto ama, como mudar a cor, fazer luzes ou alisar os fios); mas com o processo os fios ficam mais frágeis, elásticos e quebradiços.

Foi justamente para amenizar os efeitos ruins do clareamento que a espetacular molécula encontrou sua razão de existir. Chamada de bis-aminopropyl diglycol dimaleate pelos cientistas e pelo empreendedor norte-americano Dean Christal, virou o ingrediente-chave de um produto chamado Olaplex, que pode ser encontrado em mais de 150 países. “Isso hoje, porque em 2014 a marca só era achada em um ou outro salão da Califórnia. Como ela já fazia um sucesso absurdo entre esses poucos cabeleireiros, pensei, como fabricante, em trazer a novidade para o Brasil, mas não pude porque a fórmula não podia ser copiada, por ser patenteada. Mas, depois de meses de negociação, finalmente consegui importar com exclusividade o próprio Olaplex”, conta Leandro Tavitian, presidente da Goz Cosméticos.

Um plex para chamar de ‘meu’

Hoje muitas empresas já têm seu próprio plex, todas com o poder de deixar a estrutura do cabelo mais forte e melhor preparada para receber química. Em comum, todo plex tem estas três características:

1 | oferece triplo cuidado

Para garantir uma proteção mais ampla do cabelo, qualquer que seja o plex, trata-se de um processo composto por três produtos. No salão, são usados dois: um superconcentrado, que é aplicado junto com a química; e outro menos condensado, passado depois do enxágue e antes do xampu. Já o terceiro, que é o mais diluído de todos, deve ser usado em casa. Afinal, mesmo tendo sido protegido, um cabelo que recebeu química fica mais frágil e suscetível às inúmeras agressões do dia a dia a que estamos expostas, entre elas a fricção do cabelo no travesseiro durante o sono, o uso de pente e de secador, as amarrações e penteados e até aquelas passadas de mão que a gente dá o tempo inteiro sem perceber.

2 | age mais rápido que o descolorante

“Um dos segredos de sucesso do plex superconcentrado está em sua fantástica velocidade de ação: ele, que é misturado ao descolorante, age instantaneamente ao ser aplicado no cabelo. Com isso, consegue reforçar as estruturas internas que os fios já têm e reestruturar as que foram destruídas em serviços químicos anteriores, antes mesmo do descolorante começar a clarear. Esse efeito dá muito mais segurança para o profissional trabalhar e ousar”, afirma o cabeleireiro Sérgio G., do salão G.Lass Hair, em São Paulo, que, inventivo, também usa o plex para fazer relaxamento nas cabeleiras de mulheres e homens. “Ninguém quer um cabelo liso que fique fino, poroso e opaco”, completa.

3 | protege até o fio que não está 100% saudável

Outros profissionais que, assim como Sérgio G., contam com sua expertise para extrapolar as recomendações do fabricante são: o maior fabricante de loiras do Brasil, Romeu Felipe, do recém-inaugurado ROM. Concept, na capital paulista; e o embaixador da Wella, Dougllas Dias, que atende no salão Studio W Alphaville, em Barueri (SP). A dupla gosta de juntar o plex com um tiquinho de água e borrifar no cabelo antes mesmo de começar a química. “Esse truque é ótimo para proteger aquele fio que não está com a saúde tão boa e mesmo assim você quer um clareamento fantástico”, conta Romeu, que alerta que não há plex que salve um cabelo frágil, poroso, ressecado e quebradiço, permitindo que ele receba qualquer tipo de química sem estourar, literalmente. “Em casos assim não tem como fugir: é preciso fazer primeiro um bom tratamento para recuperar a saúde dos fios, o que inclui usar bons produtos em casa, para manter e prolongar o efeito alcançado no salão. Mas, com a saúde recuperada, os processos, como descoloração, coloração ou alisamento, estão liberados; com o uso do plex, claro”, finaliza Dougllas Dias.

Enfim, a tendência que veio para ficar não é necessariamente ser loira. Mas eu e você podemos, sim, ter a aparência que quisermos e não somos obrigadas a seguir o que os padrões de beleza nos impõem. É nisso que VERA BELLEZZA acredita. E defende também que se a gente decide se transformar em loira platinada temos o direito de procurar um método de clareamento que nos deixe linda e ainda preserve a saúde dos cabelos. O Caderno de Tendências 2019-2020 da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), produzido em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) confirma essa ideia quando diz: “um movimento que começou um pouco tímido, ganhou força nos últimos tempos e, agora, ecoa em alto e bom som, avisando que veio para ficar: o empoderamento feminino. Na sua esteira, cresceu o sentimento de aceitação e orgulho pessoal entre as mulheres. Ser bela é se sentir bem e feliz do seu próprio jeito. E, como o cabelo é, sem dúvida, um dos principais atributos femininos para expressar a identidade, nada mais natural do que usá-lo para reforçar esse sentimento de aceitação e orgulho pessoal… Há um sentimento de libertação e poder: ‘Posso ser do jeito que eu quiser’. Ou seja, se desejar fios enrolados, tudo bem. Se quiser alisa-los, tudo bem também. Desde que o desejo seja pessoal. O mantra repetido atualmente é ‘cabelo bonito é cabelo bem cuidado’”.