Embalagens do bem

Sabe aquela história de ‘não julgar o livro pela capa’? Pois ela está deixando de se aplicar principalmente quando o assunto é a indústria de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos. O fato é que está ficando cada vez mais comum o consumidor se decidir pela compra – ou não – de um produto por sua embalagem e o destino dela após ser consumida, como aponta o Caderno de Tendências 2019-2020 da ABIHPEC. Sim, as embalagens chamam a atenção para o conteúdo. Mas hoje as pessoas valorizam ainda mais as marcas que se preocupam em oferecer produtos de qualidade ‘vestidos’ da melhor maneira para todos e para o planeta. É bom ficar antenada para saber como melhorar ainda mais suas escolhas nas próximas compras.

Vera Golik e Shâmia Salem

A preservação do meio ambiente faz parte de um esforço gigante e universal do qual a indústria de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos também é uma forte aliada. No caso das empresas, a preocupação vem desde a formulação, com uso mais consciente dos ingredientes, escolha de ativos de origem natural e busca por técnicas que preservem a natureza, até investir em produção, transporte e armazenamento de produtos que sejam earth-friendly, como destaca o Caderno de Tendências 2019-2020 da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), produzido em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Essa produção ‘amiga do planeta’ faz ainda mais sentido quando a gente lembra que, pelo menos por enquanto, a Terra é o único lugar que todos – empresários, inclusive – temos para viver e também quando olhamos para as tendências de consumo para os próximos anos. Uma delas, descoberta numa pesquisa global realizada pela Euromonitor Internacional, em 2016, mostrou que cinco em cada 10 pessoas acreditavam fortemente que poderiam fazer a diferença para este mundo por meio de suas escolhas e ações. Esse percentual só vem crescendo. Temos certeza de que você, assim como nós, aqui do VERA BELLEZZA, engrossamos essa lista!

Bom para você, e para o planeta

Entre os pontos que mais chamam a atenção desse consumidor mais consciente estão as embalagens mais sustentáveis, que trazem o conceito de ‘verde’ quando são feitas com materiais renováveis ou reciclados. E, justiça seja feita, esse processo já está muito bem absorvido pela indústria de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, que vem usando toda a criatividade para criar lindas embalagens com esse conceito ultra moderno. Mesmo assim a gente precisa de mais, pelo nível de destruição do planeta apontado nos estudos. Daí o desafio atual do setor, conforme aponta o Caderno de Tendências da ABIHPEC, de pesquisar e disponibilizar outras formas de diminuir ainda mais o impacto ambiental que as embalagens podem produzir.

Essa preocupação tem estimulado um movimento muito bacana entre os consumidores, que passam a ver com mais carinho e de maneira superpositiva aquele produto que não tem um design tão sofisticado, chiquérrimo e imponente, mas, sim, que se mostra criativo, atento à proteção em dose dupla: a do conteúdo de dentro do pote, para garantir a eficácia para fazer valer o seu investimento, e do invólucro, que prejudica o menos possível o meio ambiente.

O mais legal é que essa nova postura tem feito surgir ideias das mais incríveis pela indústria, entre elas:

••• a tendência de desenvolver embalagens biodegradáveis;

••• tecnologia e design para criar modelos que aproveitam melhor o espaço nas caixas, reduzindo o espaço vazio e o volume transportado;

••• a substituição das caixas de papelão por tecido, que se transformam em embalagens recarregáveis (muitas geram até descontos na hora da recompra! Quem não quer?);

••• valorização da logística reversa, que auxilia o descarte correto do produto após seu consumo.

O programa Dê a Mão para o Futuro – Reciclagem, Trabalho e Renda, coordenado pela ABIHPEC, atua nesse sentido desde 2006, consciente da necessidade de buscar soluções para a questão das embalagens pós-consumo e empenhada em contribuir para o incremento dos índices de reciclagem no Brasil.

Se tem dado certo? Em 2018, o programa atingiu a meta de recuperação de 22% das embalagens pós-consumo colocadas no mercado (aproximadamente 117 mil toneladas)!

Enfim, a soma dessas medidas – e das que vem sendo desenvolvidas constantemente nesse sentido – confirmam a tendência de que cada um de nós é responsável por tudo o que escolhemos fazer, ou não. Pense nisso e deixe seus olhos se encantarem pelas novas embalagens e sua razão e seu coração agirem juntos, pesando e avaliando bem o que está cogitando em levar em suas próximas compras.