Comprar na web e acertar? Claro que dá!

Ter lojas de todo o mundo aos seus pés, ou melhor, na ponta do seu dedo, sem se importar com o fato da marca ser sueca e você estar no interior do Piauí, ser domingo ou feriado, tarde da noite ou meio da madrugada, são alguns dos inúmeros deleites de comprar pela internet. Mas, para que a transação não cause rugas de preocupação nem gere radicais livres, VERA BELLEZZA listou cuidados essenciais que você precisa tomar antes de dar o clique final.

Por Vera Golik e Shâmia Salem

Apesar de nove em cada 10 vendas de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos ainda serem feitas em canais tradicionais que nossas mães e avós usam, ou seja, em hiper e supermercados, venda direta, lojas especializadas e farmácias e drogarias, a internet vem crescendo feito um tsunami, adianta o Caderno de Tendências 2019-2020 da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), produzido em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). E o Caderno de Tendências da ABIHPEC não está falando “só” das lojas virtuais, não, mas também das comercializações impulsionadas pelas mídias sociais, que vêm ganhando cada vez mais fôlego.

Leila Menezes

“A internet mudou muita coisa na minha vida, o jeito que eu me informo, conheço pessoas e, principalmente, compro cosméticos”, entrega a enfermeira Leila Menezes, 61 anos, que até dois anos atrás mal sabia acessar as lojas de e-commerce e hoje já é cliente habitué no Facebook e no WhatsApp e prepara sua estreia no Instagram. “Apesar disso não dispensei nenhum canal da web. É que primeiro vejo os argumentos que a marca usa em seu site para vender o próprio produto, depois vejo o que dizem as revistas femininas on-line, ouço as blogueiras e, por fim, a opinião dos meus amigos”, conta ela.

Sinais de tempos atuais

Espantada com o comportamento da Leila? Pois saiba que não poderia ser diferente, já que no Brasil seis em cada 10 casas têm famílias conectadas, segundo uma pesquisa de 2016 do IBGE, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Este número ainda tem muito a crescer, e rapidamente. É o que diz um levantamento de 2017 feito pela Nielsen na América Latina, onde brasileiros foram incluídos, claro, e concluiu que, quando o assunto é comprar, 93% dos consumidores buscam lugares que estejam perto deles, 94% preferem locais em que eles sabem que vão encontrar o produto que desejam e 93% querem fazer suas compras num canal que ofereça melhor preço. Ou seja, a semelhança com a internet não é mera coincidência.

O Caderno de Tendências da ABIHPEC, captando o que acontece na indústria brasileira e de olho em todos os movimentos das marcas, aponta três motivos principais para o sucesso da compra na web:

1 – é mais conveniente, já que você pode escolher receber o produto no endereço que quiser e ainda economiza tempo e dinheiro ao não precisar ir até a loja (levanta a mão quem ama não ter que encarar trânsito, nem disputar uma vaga no estacionamento do shopping);

2 – o preço é mais atrativo, afinal, no canal eletrônico ele costuma ser mais baixo. Isso sem contar que há promoções exclusivas para a rede e épocas ou itens que têm frete grátis;

3 – a variedade não tem limites, porque você pode conhecer marcas e produtos que sequer sabia que poderiam existir e até itens que são vendidos somente on-line.

Cliente esperta

Conveniência, variedade, preço e outras delícias à parte, a internet também é um prato cheio para golpistas. E, para que eles não deletem seu desejo e segurança de consumir on-line, VERA BELLEZZA listou algumas das melhores recomendações e cuidados que você deve tomar:

Para acertar na escolha do cosmético

••• sempre que possível, vá até uma loja física para checar se a cor da maquiagem ou a fragrância do perfume realmente combinam com você;

••• como a cor da base é um dos itens mais difíceis de acertar, e isso mesmo em lojas físicas, a recomendação é ter o tom que você já usa como referência, mesmo que o produto seja de uma marca diferente da que você está interessada em comprar. E, lembre-se: as empresas tendem a dividir as cores em tons frios e quentes, sendo que os frios têm fundo rosado e os quentes, amarelado. Na dúvida sobre qual é o seu caso, olhe suas veias do braço: se elas forem azuladas, o seu sub-tom de base deve ser frio, e se forem esverdeadas, seu sub-tom é quente. Outra dica: quem fica vermelha quando toma sol, mesmo usando protetor solar, tem sub-tom frio; enquanto quem fica bronzeada tem sub-tom quente;

••• mais um jeito de acertar na escolha da cor, seja de base, blush, sombra ou batom é pesquisar swatches, que é o nome usado para aquelas fotos que as blogueiras fazem do próprio antebraço mostrando várias cores diferentes na própria pele.

Para não ser enganada na rede

••• procure o máximo de informações a respeito do produto para se certificar se ele realmente é indicado para o seu caso, o seu tipo de pele e o seu gosto. Por exemplo, se você é celíaco e ele é livre de glúten, se você não quer nada que use corantes ou outros ativos com potencial alergênico para peles sensíveis ou sensibilizadas… Para isso, vale acionar o site e as redes sociais da empresa, reportagens de jornais e revistas, blogs, vídeos no YouTube e, claro, suas amigas no Facebook, Instagram e Twitter;

••• outro bom jeito de conhecer a reputação de uma loja ou marca é avaliar o índice de satisfação de seus clientes e como ela lida com problemas e reclamações do consumidor. No site Reclame Aqui você pode ver como a marca está respondendo, caso tenha sido citada;

••• use somente seu computador e celular para fazer compras, porque em aparelhos emprestados ou alugados, em cyber cafés e lan houses, por exemplo, há o risco de roubarem suas senhas e dados financeiros;

••• pague com cartão de crédito, já que nesse tipo de operação é mais fácil sustar o pagamento em caso de fraude. “Logo que comecei a comprar on-line, optei por fazer depósitos por medo de clonarem meu cartão de crédito. Tomei dois calotes enormes!”, conta a enfermeira Leila Menezes;

••• o PROCON, Programa de Proteção e Defesa do Consumidor, recomenda verificar se o site da empresa tem CNPJ, endereço comercial físico e telefone, o que aumenta as chances de proteção caso você precise fazer reclamações após a compra;

••• para confirmar se o site é seguro, confira se na tela aparece o desenho de um cadeado;

••• desconfie sempre de preços muito abaixo do mercado;

••• antes de clicar em “finalizar compra”, certifique-se das formas de pagamento, do prazo de entrega, do valor cobrado pelo frete e da política de devolução do produto, que geralmente é de sete dias;

••• depois de efetuar a compra, você deve receber por e-mail o comprovante da aquisição, que traz o número do pedido, a descrição dos itens comprados e prazo de entrega. Guarde-o com carinho, porque ele serve como documento caso seja necessário fazer uma reclamação no PROCON.