Bote a sua pele para dormir

VERA BELLEZZA já te contou da tendência dos cosméticos calmantes e relaxantes, para ajudar a fazer com o que o sono seja regenerador – desejo máster nestes tempos de excessos (de muita informação, de estresse, de conexão em tempo integral…). E, seguindo essa mesma linha, eis que surge mais uma novidade que já está deixando as brasileiras em polvorosa: a dos produtos elaborados com melatonina. Sim, o hormônio do sono! Entenda a proposta dele para a saúde e o bem-estar da pele

Vera Golik e Shâmia Salem

Não é de estranhar que na atual e crescente busca pelo bem-estar, melhorar a qualidade do sono figura entre os quatro maiores desejos na lista dessa tendência (que inclui viver mais e melhor, ter mais energia e se cuidar mais), como aponta o Caderno de Tendências 2019-2020 da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), produzido em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

E é se inspirando nessa mesma proposta que algumas marcas começam a oferecer cosméticos elaborados com melatonina, o hormônio produzido no cérebro e liberado gradualmente na corrente sanguínea à medida que o dia escurece. O objetivo: fazê-la dormir para que, durante o descanso, toda a sua energia se concentre em fazer com que as células, da pele inclusive, sejam reparadas. Esse repouso é fundamental para que as células da pele se renovem, pois foram prejudicadas por inúmeros agressores e aceleradores do envelhecimento, como o sol, a poluição e o estresse.

É fake, mas do bem

Tudo seria perfeito se não fosse o fato da melatonina sintética, que é permitida em alguns países, ser proibida no Brasil – a não ser que ela seja manipulada a partir de prescrição médica e somente para uso oral. A solução do mercado de produtos de higiene pessoal e cosméticos, então, foi criar uma molécula com ação semelhante que pudesse ser colocada em cremes, séruns e afins para ser aplicada de maneira tópica na pele.

Foi assim que se chegou a uma planta chamada Albizia julibrissim. Mais conhecida como seda da Pérsia, ela é capaz de se ligar aos receptores de melatonina que existem na pele e provocar benefícios semelhantes aos do hormônio do sono. “A ideia é levar a pele a acreditar que a pessoa está dormindo, o que favoreceria aqueles processos todos de regeneração e renovação celular que ocorrerem durante o descanso”, conta o farmacêutico Maurício Pupo, de Campinas.

Acrescente a esses benefícios o fato dessa melatonina vegetal ter ação antioxidante. “Isso explica porque alguns estudos mostraram que seu uso tópico pode melhorar a hidratação da pele, diminuir a degradação do colágeno e da elastina, reduzir as linhas de expressão e aumentar a firmeza do rosto”, diz a dermatologista Kédima Nassif, de Belo Horizonte (MG). “Diante de todos esses ganhos, a pessoa acorda com a pele revitalizada, mais iluminada e com a expressão descansada. Um verdadeiro sonho de consumo”, brinca a médica.