A marca que é a sua cara

Se você adora novidades para se cuidar mais e melhor, saiba que uma das mais quentes apontadas no Caderno de Tendências 2019-2020 da ABIHPEC atende pelo nome de indie brands. Estamos falando das marcas de cosméticos independentes, um nicho que só nos Estados Unidos cresceu cinco vezes mais do que as grandes, segundo um levantamento da Factor-Kline. Descubra a seguir o que essas pequenas grifes têm que andam encantando tantos consumidores – e, acredite, você pode ser a próxima!

Vera Golik e Shâmia Salem

Aqui no VERA BELLEZZA já falamos várias vezes sobre o novo posicionamento do consumidor na hora de adquirir produtos e serviços de higiene, bem-estar e cuidados pessoais. Uma mudança radical de comportamento, já que ao invés de se espelhar no que é considerado padrão, as pessoas começam a se guiar por uma definição particular e individualizada do que é ser belo e se sentir bem. E é nessa esteira do “minha beleza, minhas regras” e em sua capacidade de oferecer cosméticos personalizados para um nicho de consumidores bem particular é que as chamadas indie brands vêm ganhando cada vez mais força. Há duas explicações para isso apontadas no Caderno de Tendências 2019-2020 da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), produzido em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas): a primeira, é que essas marcas independentes são ágeis em incorporar novos comportamentos e conceitos como base para a criação de produtos; e a segunda é que elas também ficam de olho naquela parcela de pessoas que ainda não têm muitas opções de cosméticos e procuram oferecer alternativas.

O padrão é não ter padrão

Um dos segredos de sucesso das indie brands para atender e conquistar esse “novo” consumidor é olhar para ele como indivíduo e estudar seu comportamento e suas necessidades pessoais. E é assim que surgem os produtos e tratamentos customizados, com perspectivas e benefícios exclusivos que as grandes marcas ainda não conseguem atender.

Diante de tamanha personalização, o consumidor se sente cada vez mais atraído e encantado por essas novas marcas independentes, claro. E essa sedução é feita de inúmeras formas: na formulação do cosmético, na embalagem e até na caixa em que ele é comercializado. Isso explica porque algumas indie brands vêm apostando em materiais e ingredientes limpos, assim chamados por não agredirem o meio ambiente. Há inúmeros bons exemplos disso, entre eles as embalagens sustentáveis que substituem o papelão por tecidos que podem ser reutilizados, os lencinhos para retirar maquiagem que são biodegradáveis e o xampu a seco que troca o spray por folhas de papel para absorver a oleosidade do couro cabeludo.

Para um futuro próximo, há promessas ainda mais inteligentes, focadas principalmente em facilidade de uso, potencializar os resultados e maior respeito à natureza, caso das escovas dentais que se adaptam à arcada dentária e de sabonetes e frascos de produtos que se acomodam à mão, evitando o deslizamento da água bem como seu desperdício. Fala se não dá vontade de torcer para esse futuro chegar logo?